quinta-feira, 3 de agosto de 2017

O CERIMONIALISTA E O HINO NACIONAL


Comenta-se muito que cerimonial é criatividade e bom senso. Cerimonial é mais do que isso, é antes e acima de tudo, o fiel acatamento da legislação, convenções internacionais, normas e regras aliadas ainda à cultura, tradições e costumes, que influem diretamente na organização do cerimonial de um evento. 

Uma das práticas errôneas, uma invencionice, que grassa nas cerimônias pelos diversos rincões do país, surgido não se sabe de onde e nem como, “é voltar-se (autoridades e público) na direção da Bandeira Nacional, por ocasião da execução do Hino Nacional”. Essa prática, além de não encontrar respaldo legal, sugere que a Bandeira Nacional é mais importante que o Hino Nacional e portanto tem precedência sobre este.

O Hino Nacional, juntamente com a bandeira, as armas e o selo, são símbolos que representam a nação brasileira, a pátria que amamos e respeitamos. Os símbolos nacionais são pares, não há precedência e muito menos hierarquia entre eles; todos, isoladamente ou em conjunto são símbolos da nação, expressando o espírito cívico dos brasileiros.

Constitui-se violação de culto ao Hino Nacional, virar-se na direção da Bandeira Nacional durante a execução do Hino Nacional, exceto nos casos previstos na lei em que a Bandeira Nacional é o símbolo cultuado.

Jairo Rodrigues- TVRNews


Nenhum comentário:

Postar um comentário