domingo, 24 de junho de 2018

Movimento "Jornalistas contra o Assédio" completa dois anos

No mês em que se comemora a Copa do Mundo na Rússia, o que tem chamado bastante a atenção são as manchetes dos principais jornais falando sobre assédio durante a Copa. 


"ONU Mulheres condena assédio promovido por brasileiros na Rússia". 

 "Torcedor argentino comete assédio na Rússia e é proibido de entrar nos estádios". 

"Repórter da Globo é vítima de assédio na Rússia e dá bronca em torcedor". 

 "Jornalista Russa é vítima de assédio". 

No último sábado(23), o Movimento "Jornalistas contra o Assédio", completou 2 anos e a luta continua. O movimento foi criado por um grupo de jornalistas mulheres, após a demissão de uma repórter do Portal IG, por ter feito uma denúncia de assédio contra o cantor Biel. 

Na época, a jornalista foi assediada pelo cantor durante uma entrevista, e bastante abalada emocionalmente ela denunciou o caso na 1ª Delegacia da Mulher de São Paulo e posteriormente o caso foi assumido pelo Ministério Público. 

Dias depois esse grupo de jornalistas lançou um vídeo-manifesto e a campanha "Jornalistas contra o Assédio". O movimento ganhou força e cada vez mais apoio de outros jornalistas, profissionais de diversas áreas da comunicação e do público em geral. 

Neste mês de junho o Movimento completou dois anos de luta contra o assédio, e para comemorar e fortalecer ainda mais a luta, o grupo se reuniu em uma grande festa no bar Up, em São Paulo. nesta última sexta-feira(22). 

Confira o vídeo- manifesto criado pelo grupo em 22 de junho de 2016:




Jairo Rodrigues - repórter e colunista TVRNews

Video| Reprodução Youtube










Nenhum comentário:

Postar um comentário