terça-feira, 7 de agosto de 2018

Após ser chamada de irresponsável pelo prefeito de Vargem Grande Paulista, a empresa de Transporte Valli responde com nota de repúdio e fala com o TVRNews sobre o caso

"A Valli Transportes é uma empresa séria e comprometida com a segurança e bem estar de seus colaboradores e da população e não admite prestar um serviço "clandestino" sem contrato que formalize seus deveres e direitos", Adilson Lima, proprietário da Valli Transportes
Na noite do dia 31 de julho, o prefeito de Vargem Grande Paulista Josué Ramos(PR), publicou um vídeo oficial em seu perfil no facebook onde relata que foi informado extra-oficialmente pela empresa de transporte coletivo na cidade, a Valli Transportes, que os serviços seriam interrompidos no dia seguinte e decretou estado de emergência. 


No vídeo o prefeito diz que o transporte não será prejudicado, porque as vans municipais e os motoristas da prefeitura estariam fazendo todas as linhas da cidade e que o transporte seria totalmente gratuito. O prefeito chamou ainda de irresponsável a empresa Valli e afirmou que a irresponsabilidade da empresa não afetaria o transporte coletivo. 

Disse ainda que ha meses a Valli Transporte vinha tentando forçar o aumento da tarifa sob ameaça de suspensão dos serviços. "eu não acatei e não acato nenhum tipo de pressão para aumentar a tarifa e o serviço tem que ser cumprido. Por esse motivo suspenderam o serviço achando que a população seria prejudicada. Tomamos uma atitude e estamos colocando os onibus e vans da prefeitura para fazer o transporte e nao deixar a população numa situação dificil. Estaremos tomando providências com a empresa que está deixando o servilo, mas a população não será prejudicada", conclui o prefeito em vídeo no facebook.

Por outro lado, após tomar conhecimento do vídeo gravado pelo prefeito, a Valli Transportes publicou em rede social uma nota de repúdio sobre as declarações feitas pelo prefeito. 

"Nota de Repúdio
A empresa de Transporte Valli, vêm a público, por meio desta nota de repúdio expressar sua insatisfação e indignação quanto a forma desrespeitosa que a prefeitura de Vargem Grande Paulista comunicou seus munícipes sobre a suspensão dos serviços de transporte municipal prestado pela Valli. 

É inaceitável que a administração municipal tenha tratado de forma irresponsável e discriminatória os serviços prestados pela Valli, visto que a mais de um ano a empresa presta serviços de transporte municipal à população sem subsídios suficientes para cobrir os custos do trabalho. 

A empresa Valli já havia notificado a prefeitura por diversas vezes com o intuito de regularizar o transporte e firmar um contrato, entretanto a prefeitura sempre postergou a solução. Solicitamos um posicionamento até o dia 26/07(quinta-feira passada) e como de costume não tivemos um retorno da prefeitura, sendo assim comunicamos que suspenderíamos os serviços a partir do mês de agosto. 

É inadmissível que o prefeito e seus secretarios não tiveram a hombridade de responder a empresa Valli e discutir de forma séria, honesta e transparente sobre a situação do contrato". 

Em seu perfil no facebook o dono da empresa Valli, o empresário Adilson Valli, disse que a Valli Transportes é uma empresa séria e comprometida com a segurança e bem estar de seus colaboradores e da população e não admite prestar um serviço "clandestino" sem contrato que formalize seus deveres e direitos. 


Antes de noticiarmos qualquer assunto que seja, o nosso Portal tem como prioridade a responsabilidade com a informação e a notícia, respeitando sempre o nosso leitor, sendo assim, prezamos também pela imparcialidade em nossas publicações, dando voz aos dois lados da história.

Assistimos ao vídeo feito pelo prefeito e posteriormente abrimos espaço para que a empresa Valli  pudesse esclarecer a sua versão no caso e fizemos as seguintes perguntas:


Houve essa negligência conforme cita o prefeito no vídeo? Não, não houve, o prefeito por inúmeras vezes foi alertado sobre a real situação do transporte. É deficitário ( não tem numero suficiente de passageiros), conforme comprovamos com gráficos e oficios protocolizados desde o inicio da administração Josué Ramos, e ainda para complicar mais a situação da empresa, enfrentávamos concorrencia desleal com o serviço de vans, que: Só transportava em horários de pico, e em linha superavitaria, não transportava gratuidade, e tambem não trabalhava em linhas de poucos passageiros, ou quase nenhum, já nós da empresa dependiamos do faturamento de linhas superavitaria para manter as linhas de menor numero de passageiros, e quando falamos que ele mentiu a população podemos provar, está a sua disposição e de quem se interessar os oficios protocolizados relatando todas ocorrencias, dificuldades e solicitando providencias desde o inicio desta administração.

Estivemos por mais de um ano e meio aguardando que a administração colocasse no mercado o edital de concorrencia e ou contrato de emergencia, até porque o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo ja havia apontado a administração do Sr prefeito a necessidade de licitar, porque era de conhecimento deles (tribunal) que a empresa estava operando de forma clandestina, e desculpe, não aceitamos o fato de sermos considerado clandestino apenas pelo deszelo da administração municipal.

O proprio prefeito nos solicitou aguardar uma posição da administração até meados de Julho, e para nossa surpresa, ele falou que não assinaria contrato de emergencia por orientação do Dr Laroca, e que continuassemos aguardando a licitação, foi então que o avisamos, que iriamos operar os serviços até 31/07/2018, e o mesmo respondeu, fazer o que. Jamais se conversou sobre reajuste de tarifas, até porque sabemos que os reajustes se dão sempre no mes de Janeiro para todas as operadoras da região.

Há um prazo para que seja regularizado o transporte publico municipal na cidade? 
Da nossa parte não. Paramos definitivamente, o transporte em Vargem Grande Paulista é deficitário e precisaria de uma atenção especial do governo municipal, o que não houve durante estes um ano e sete meses de administração, talvez agora o prefeito resolva atentar para o problema e encara-lo como se deveria a muito tempo: Com seriedade e competencia.

O que acarretou ou ocasionou a interrupção do serviço? 
Resumidamente, falta de seriedade da administração com a coisa publica, ou interesses ocultos que desconhecemos.
Espero ter sido claro, mas de qualquer forma, nos colocamos a inteira disposição, para maiores e melhores esclarecimentos.



Publicado por Jairo Rodrigues - repórter e colunista TVRNews


Nenhum comentário:

Postar um comentário